Share |

Parques infantis adaptados para todas as crianças são uma exigência do Bloco de Esquerda.

Na semana em que a Câmara Municipal anuncia a requalificação do parque infantil do Parque 1.º de Maio, no centro da cidade, adaptando-o a crianças com necessidades especiais de locomoção, o Bloco de Esquerda congratula-se com a decisão da Câmara Municipal que implementa a proposta do Bloco de Esquerda. Congratula-se ainda com o reconhecimento por parte do Presidente da Câmara Municipal quanto à importância da medida proposta pelo Bloco de Esquerda, bem como quanto ao seu impacto para a população concelhia.  

A satisfação expressa pelo Bloco de Esquerda relativamente à ação da Câmara Municipal não deixou de ser acompanhada por reticências: “O Bloco de Esquerda não pode deixar de lamentar que a Câmara Municipal assuma apenas hoje que a adaptação, a criação e o melhoramento dos  parques infantis do concelho partiram da iniciativa do Bloco de Esquerda, quando outras iniciativas da mesma natureza, que vieram a ser implementadas, não foram assinaladas” e ainda que “apenas mobilize esforços neste projeto em período próximo das autárquicas de Outubro, aparentando os contornos eleitoralistas da sua ação”. Afirmação que se consolida com factos “veja-se o caso dos dois parques inaugurados em Ribeirão há poucas semanas, não adaptados a crianças com mobilidade reduzida”. 

"Esta é apenas uma entre múltiplas ações realizadas pela Câmara Municipal na sequência das propostas do Bloco" afirma a concelhia, o que, acrescenta "comprova a importância do reforço da nossa representação na Assembleia Municipal com mais deputados, e também no executivo municipal através da eleição de Vereadores" 

Tal afirmação dos representantes concelhios relembra os dois parques infantis inaugurados no tempo mais recente, em cujas inaugurações a Câmara Municipal de facto não fez menção desta partilha de responsabilidades na conceção das ações em causa. O Bloco de Esquerda refere que esta é uma prova adicional de que na Câmara Municipal contribuirá “para a construção ativa de um concelho verdadeiramente inclusivo”.