Share |

Que benefícios resultam para o Município com a viagem de Paulo Cunha à Microsoft?

Foi tornado público, recentemente, que o presidente da Câmara Municipal de V. N. de Famalicão, Paulo Cunha, foi um dos quatro autarcas a beneficiar de uma estadia em Seatle, Estados Unidos, pagas pela empresa informática Microsoft, destinadas à visita do seu Executive Briefing Centre nessa cidade. Sabe-se, ainda, que as viagens de ida e volta terão sido realizadas a expensas da Autarquia Local.

Perante os factos revelados nos diversos órgãos de comunicação social nacionais, o Bloco de Esquerda de Vila Nova de Famalicão, define a sua posição e demarca-se relativamente a qualquer postura de flexibilidade ou compreensão quanto a este tipo de ações.

O Bloco de Esquerda, considera grave que a Câmara Municipal tenha feito justes diretos correspondentes a 210.023 euros em licenças de software da Microsoft, por intermédio de empresas terceiras, realizados após a referida viagem. Esta postura merece a nossa condenação. Este aspeto reflete o abuso do recurso exagerado aos ajustes diretos, que devem ser concretizados com cautelas e submetidos a uma ponderação substancial, movida por critérios sérios de interesse público.

Para o Bloco de Esquerda torna-se, assim, imperativo que Paulo Cunha esclareça integralmente os famalicenses de todos os detalhes que envolveram esta viagem e da relação desta com a concretização dos ajustes diretos referidos.

Por último, considerando que a autarquia pagou a viagem de Paulo Cunha aos Estados Unidos, importa saber se e que benefícios daí resultaram para o Município de V. N. de Famalicão e para os famalicenses.

Esta situação vem reforçar a necessidade de representação do Bloco de Esquerda na Câmara Municipal, exigindo e trabalhando por um concelho rigoroso na aplicação dos princípios basilares de uma gestão autárquica assente na legalidade e na transparência.