Share |

Bloco responde a Vereador e exige mostra de documentos.

No seguimento da denúncia de ilegalidade e preocupação manifestada pelo BE sobre o concurso público para fornecimento das refeições escolares aprovada pela Câmara e Assembleia Municipal. 

O Bloco de Esquerda de V. N. de Famalicão mostra-se preocupado com a atitude anti democrática e autoritária manifestada pelo Vereador Dr. Paulo Cunha. O Bloco de Esquerda considera inaceitável que o vice-presidente da Câmara Municipal venha dizer que o Cadernos de Encargos e Manual de Procedimentos de um concurso público não devam ser do conhecimento de um partido representado na Assembleia Municipal, neste caso do BE, quando de acordo com a lei é a Assembleia Municipal que tem o poder fiscalizador da actividade da Câmara Municipal. 

Face à necessidade de repor a legalidade e responder às preocupações de muitos famalicenses que nos últimos dias têm feito chegar ao BE, inclusive relatos de pais cujos filhos ao longo deste ano letivo se foram queixando das refeições, nomeadamente refeições frias: 

O BE exige que a Câmara Municipal urgentemente esclareça definitivamente esta situação, informando os famalicenses onde o Caderno de Encargos e o Manual de Procedimentos podem ser consultados, quando e por quem foram aprovados. 

Caso não o faça de imediato, comprovando os receios do Bloco de Esquerda da inexistência desses documentos, a Câmara Municipal deverá cancelar este concurso e o Vereador Dr. Paulo Cunha ficará sem condições políticas para poder continuar a desempenhar o cargo que ocupa, por reiteradamente ter faltado à verdade. 

O Bloco de Esquerda refuta claramente a provocação utilizada pelo vereador Dr. Paulo Cunha de que se esteja a usar este delicado tema para fazer chicana política. Para o BE não há temas tabu e jamais abdicará do seu papel fiscalizador da Câmara Municipal. 

Continuaremos a questionar a Câmara Municipal, sobre o que entendamos pertinente e denunciaremos tudo aquilo que, de forma menos clara, ponha em causa o erário público e os legítimos interesses da população. Foi para isso que recebemos o voto e o mandato dos famalicenses.