Share |

A cerimónia hollywoodesca

Os partidos de direita PSD/CDS apresentaram o seu candidato a presidente da Câmara Municipal no passado domingo, numa cerimónia tão pomposa que facilmente poderiam levar os mais incautos ou distraídos a imaginar que o país e o nosso concelho não está a viver a maior crise de que há memória.

Tão estrondosa cerimónia até poderá levar alguns a pensar que esses mesmos partidos não são os principais responsáveis pela destruição do nosso país e pela destruição dos sonhos e da esperança da grande maioria dos portugueses e dos famalicenses em particular.

Mas são! E os famalicenses sabem bem disso!

É bom que ninguém se esqueça que o candidato Paulo Cunha tão apoteoticamente apresentado é precisamente o responsável máximo distrital do PSD principal partido que sustenta o governo que executa as políticas às ordens da troika, o que faz com que seja também responsável por todas as medidas de austeridade e desemprego que atormentam a vida da maioria das famílias famalicenses.

É bom não esquecer que o candidato tão entusiasticamente apresentado nunca foi capaz de se colocar ao lado da população e levantar a voz contra as dificuldades que lhe estão a ser impostas. Nada fez para que fosse possível à população decidir sobre a extinção ou fusão das suas freguesias, ao contrário, apoiou a forma desastrosa como foram extintas 15 freguesias no nosso concelho.

Num momento tão difícil como aquele que estamos a viver, não pode haver o meio- termo, não se pode estar no céu e no inferno ao mesmo tempo. Ou se está com as medidas da Troika, ou se está ao lado da população, e o candidato Paulo Cunha é bom lembrar sempre foi um apoiante férreo da política deste governo.

O candidato do PSD/CDS sempre escolheu ficar do lado do poder e do governo contra os famalicenses, precisamente nos momentos em que estes mais precisam de quem os defenda e ajude nas suas imensas dificuldades porque passam. Por mais promessas que venha agora a fazer, por mais churrascos e brindes que venham a ser oferecidos aos famalicenses, esta realidade jamais poderá ser branqueada.

Quando os famalicenses olham para as imagens desta hollywoodesca apresentação de candidatura e pensam nos sacrifícios porque estão a passar resultantes das medidas que o governo PSD/CDS lhes está a impor, percebem que uma coisa não encaixa com a outra, como se a crise e as dificuldades afetem a todos de igual modo.

Os famalicenses merecem mais respeito.