Share |

Boas Intenções

Os dados estão lançados; o nosso município já sabe com que linhas se irá coser no próximo ano, agora que a Câmara Municipal (CM) aprovou o seu orçamento para 2014 (enquanto o caro leitor passa por aqui os olhos, está em curso a mais que certa aprovação da proposta da CM em sede de Assembleia Municipal, independentemente das posições que alguns deputados municipais aí tomem, mesmo que da maioria, quanto mais das oposições).

No seu anúncio público, o Sr. Presidente da CM salientava a “resposta social avassaladora” que este executivo apresenta aos famalicenses, realçando que será um valor de cerca de seis milhões de euros a fatia do orçamento destinada às áreas de ação social. Estranhamente, a quantia estritamente atribuída à ação social para o ano de 2014, em que os efeitos da maldita crise ainda mais se farão sentir, vê-se reduzida, relativamente ao orçamentado para este ano, em cerca de 50%. Avassaladora?

Aqui, nestas verbas ditas sociais, há uma realidade que, desde sempre, me causa engulho pois aí vão incluídos os manuais escolares das crianças que vão para as suas escolas nos lustrosos bólides dos seus progenitores…será mau feitio meu.

Assim como também se me perspetiva de difícil exequibilidade os tais prometidos 50 milhões de euros de verba afeta às áreas sociais para a presente legislatura, mas que são 44 milhões em três anos?

Vejamos, por exemplo, o caso do Parque da Devesa (bela e valiosa obra, seguramente), saberão os menos atentos a esta coisa da coisa pública que, até 2016, ali estarão investidos mais de 17 milhões de euros, e que por essa altura já por ali brotarão, na sua orla, ‘belos’ mamarrachos de betão?

E há que continuar a apregoar, os nossos governantes locais são correligionários dos Coelhos, Portas, Relvas, Branquinhos e Aguiar-Brancos das negociatas (este último até no E.Leclerc local)…